Voltar
27-10-2015

Facebook perde recurso e deve pagar R$ 20 mil a alvo de críticas no "Lulu"



O Tribunal de Justiça de São Paulo manteve nesta segunda-feira (26) decisão que condena o Facebook e a empresa que desenvolveu o aplicativo "Lulu" a pagarem R$ 20 mil em indenização por danos morais a um homem avaliado no app. Carlos Vilas Boas havia conseguido sentença favorável na Comarca de São Bernardo do Campo após receber críticas no programa.

De acordo com ele, seu perfil na rede social foi usado no "Lulu" sem sua autorização. O Facebook defende que Vilas Boas consentiu que suas informações poderiam ser utilizadas ao concordar com o contrato para entrar na rede social.

O desembargador José Carlos Ferreira Alves, relator do recurso, não concordou com os argumentos da empresa. "Se o Facebook lucra (e bastante, aliás) com sua atividade, deve indenizar aqueles que experimentam danos que não ocorreriam não fosse tal atividade", afirmou na decisão.

A indenização deverá ser dividida entre o Facebook Brasil e a Luluvise Incorporation. As envolvidas ainda podem entrar com recurso.

Avaliações
O aplicativo voltou ao país em julho. A nova versão permite a entrada de homens para conferirem suas notas e terá bate-papo para facilitar o flerte. 

Quando chegou ao Brasil, em novembro de 2013, o "Lulu" virou hit. Chegou ao topo dos downloads da App Store, foi visitado mais de 5 milhões de vezes pelas mulheres (9 vezes por dia, em média, para cada usuária) e gerou meio bilhão de visualizações de perfis de homens.

Além de atrair tanta popularidade, o app também provocou muita discórdia. Usuários insatisfeitos entraram na Justiça a fim de conseguir indenizações, e até um aplicativo falso, o "Tubby", surgiu para dar aos homens a oportunidade de avaliar mulheres.




  Sobre

Este site tem o objetivo de divulgar notícias da área de Tecnologia.

  Recentes
  Contatos
  

contato@elimorais.com.br.