Voltar
19-01-2016

Tecnologia pode acabar com 5 milhões de empregos no mundo até 2020



DAVOS - Conhecido como “quarta revolução industrial”, o processo de desenvolvimento da robótica, da inteligência artificial e da biotecnologia deve eliminar 7,1 milhões de empregos durante os próximos cinco anos, nas maiores economias mundiais, segundo um relatório do Fórum Econômico Mundial (WEF) publicado em Davos, na segunda-feira. O número, que deveria ser parcialmente compensado pela criação de 2,1 milhões de novos cargos, contribui para a previsão das Nações Unidas de um aumento de 11 milhões na taxa de desemprego global até 2020.





Esses fenômenos provocarão grandes perturbações não só nos modelos empresariais como também no mercado de trabalho durante os próximos cinco anos, segundo a AFP, de acordo com o WEF, organizador do Fórum de Davos, que começará na próxima quarta-feira nesta cidade dos Alpes suíços.A avaliação, que estudou países como Estados Unidos, Alemanha, França, China e Brasil, destaca os desafios criados pelas tecnologias modernas, que automatizam e tornam redundantes diversas tarefas humanas, como a fabricação de produtos e cuidados com a saúde .







Estudos baseados em uma pesquisa global de executivos e funcionários de estratégia mostram que dois terços das perdas são esperadas para acontecer em setores administrativos, visto que as máquinas inteligentes assumem cada vez mais tarefas rotineiras.





O relatório “O Futuro dos Empregos” conclui ainda que, apesar de o impacto das perdas variar consideravelmente em cada área, postos de trabalho serão perdidos em todas os setores da indústria — principalmente na saúde , devido ao aumento da telemedicina, e nos setores de energia e serviços financeiros. Por outro lado, haverá uma crescente demanda de profissionais qualificados, como analistas de dados e especialistas em representantes de vendas.





Como, diversas vezes, os empregos majoritariamente femininos se concentram em áreas em declínio ou em baixo crescimento, as mulheres serão as maiores prejudicadas com a perda de suas atividades, principalmente em vendas, trabalhos de escritório e funções administrativas. Enquanto os homens terão um emprego adquirido para cada três perdidos, elas enfrentam mais de cinco empregos perdidos para cada novo.





QUARTA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL

O WEF criou o painel “a quarta revolução industrial” — um tema que abrange a robótica, nanotecnologia, impressão em 3D e biotecnologia. A quarta revolução transformará a economia mediante a combinação de diversos fenômenos já existentes, como a internet das coisas e o Big Data.





Enquanto a primeira revolução industrial foi desencadeada pela generalização da máquina a vapor, a segunda se deu pela eletricidade e redes de montagem e a terceira pela eletrônica e pela robótica.





Esses processos transformaram radicalmente os processos produtivos e os mercados de trabalho e, de acordo com o WEF, a quarta não será diferente.





“Sem ações urgentes e focadas para gerenciar essa transição a meio prazo e criar uma mão de obra competente para o futuro, os governos terão que enfrentar um aumento constante do desemprego assim como um agravamento das desigualdades”, explica Klaus Schweb, presidente e fundador do WEF, citado no comunicado.


Tecnologia pode acabar com 5 milhões de empregos no mundo até 2020



  Sobre

Este site tem o objetivo de divulgar notícias da área de Tecnologia.

  Recentes
  Contatos
  

contato@elimorais.com.br.